Últimas

Amigos pra voltar a amar

Começo a refletir nesse artigo,um tema que me chamou a atenção antes mesmo de participar do Acampamento PHN 2012,cujo o tema central é “Amigos pra voltar a amar.”Quando eu escutei a música do Dunga “Ei.Amigo!” pude compreender que a amizade tem um valor muito especial para encontrar um tesouro no céu,o amor de uma amizade,tem chamado de fato a minha atenção ao refletir sobre essa frase,porisso no Livro do Eclesiástico no Cap. 6,onde o Senhor com muita sabedoria nos dá a sua orientação sobre a amizade entre todos nós:”Amigo fiel é poderosa proteção: quem o encontrou,encontrou um tesouro.”(Eclo 6,14).Encontrar um amigo fiel é trazer para nós um verdadeiro “bálsamo de vida”.(v.16),no entanto queremos amar o próximo e sermos fiéis aos amigos que devemos amar o próximo cada vez mais entrarmos nesse bálsamo de vida que Deus reservou para nós,a partir dessa frase “Amigos pra voltar a amar” pude compreender a passagem bíblica narrada no Evangelho de São João no cap.15,que fala sobre o mandamento novo de Jesus,e Ele nos explica na Sagrada Escritura:”Este é o meu mandamento:amai-vos uns aos outros,assim como eu vos amei.Ninguém tem amor maior do que aquele que dá a vida por seus amigos.Vós sois meus amigos,se fizerdes o que eu vos mando.Já não vos chamo servos,porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor.Eu vos chamo amigos,porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai.”(Jo 15,12-15).É isso meus irmãos e irmãs,devemos amar uns aos outros,assim como Cristo nos amou.O amigo é aquele que te dá toda proteção na vida toda.Pense nisso,supere todas as dificuldades da vida,tenha certeza de que a comunhão com Deus é também dentro desse valor que é a amizade,esse é o melhor tesouro que devemos carregar para a vida toda.Lembre-se Somos Amigos pra voltar a amar.Reflita sobre essa temática para que a amizade seja de fato um verdadeiro tesouro do céu.

Evangelização da Juventude

“Conhecer os jovens é condição prévia para evangelizá-los.Não se pode amar nem evangelizar a quem não se conhece.Por esse motivo,iniciamos com alguns elementos das realidades juvenis,buscando conhecer a geração de jovens cuja evangelização se apresenta como um dos grandes desafios da Igreja neste início do século XXI.É necessário ter em conta a variedade de comportamentos e situações da juventude hoje e a dificuldade de delinear um único perfil da mesma no mundo e no Brasil.” (Doc.85 da CNBB 10).

Queridos jovens,com essa citação do Documento 85 da CNBB,sobre a Evangelização da Juventude,trago a Boa Nova para vocês que estão acompanhando os artigos que escrevo nos meus Blogs de Evangelização.Esse ano de 2012,iremos celebrar os 50 anos da Assembléia Geral da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil),e também iremos realizar também a celebração dos 50 anos de abertura do Concílio Vaticano II,portanto queridos jovens,peço a todos com muita coerência,de recomendar a todos vocês a lerem o Catecismo especializado para os jovens o YOUCAT,conforme o Papa Bento XVI,pede que estudemos o Catecismo com paixão e perseverança,por isso “O ser humano deve honrar o criador nas criaturas,relacionando-se com elas séria e cuidadosamente.Os seres humanos,os animais e as plantas têm o mesmo criador,que por amor os chamou à existência,daí que seja profundamente humano o amor às criaturas,sobretudo aos animais”. (YOUCAT 57).

As Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora nesse período de 2011 a 2015,sugere aos jovens que tenham um encontro pessoal com Cristo,anunciando verdadeiramente á luz do Evangelho,fazendo com que a evangelização seja trabalhada com urgência na Ação Evangelizadora e Missionária.(cf.DGAE 7).Portanto amados jovens,essa é a hora de evangelizar a nossa juventude,é hora de tomar a nossa cruz todos os dias,para que possamos nos tornar seguidores e nos tornarmos discípulos missionários de Jesus Cristo.“Se alguém quer vir após mim,renuncie-se a si mesmo,tome a sua cruz e siga-me! Pois quem quiser salvar sua vida a perderá;mas quem perder sua vida por causa de mim e do Evangelho,a salvará.” (Mc 8,34-35).Portanto,a Ação missionária na Igreja faz com que outros jovens também sejam discípulos e missionários de Jesus Cristo,seguindo conforme o que a Conferência de Aparecida nos pede no Documento de Aparecida,relacionando-se com a missão dos jovens (cf.DAp 326).

Todos nós temos em levar em conta de que a evangelização da juventude torna-se mais ampla no caminho relacionado no coração dos jovens é transformar a vida deles em se tornarem os Jovens Evangelizadores na Igreja Católica.“Que todos os leigos sejam protagonistas da nova evangelização,da promoção humana e da cultura cristã.É necessária a constante promoção do laicado,livre de todo clericalismo e sem redução ao intra-eclesial.”( Santo Domingo,97).Seguimos essa estrutura para que a evangelização da juventude,seja planejado com um ardor missionário,e que cada jovem se tornem cada vez mais,”Sentinelas do Amanhã”.(João Paulo II).Animados pela força da Fé,o Papa Bento XVI,na Carta Apostólica Porta Fidei no qual se prepara a abertura do Ano da Fé nesse ano de 2012,onde iremos celebrar os 50 anos do Concílio Vaticano II,e dos 20 anos da publicação do Catecismo da Igreja Católica,texto promulgado pelo Papa João Paulo II,onde também no dia 11 de Outubro desse ano irá se realizar a XIII Assembléia Geral Extraordinária do Sínodo dos Bispos no Vaticano,que tem como o tema nessa Assembléia “A Nova Evangelização para a transmissão da Fé Cristã”,esse é um exemplo de vida que nós jovens,estamos nos preparando para seguir esse caminho novo para a evangelização,é necessário que todos nós trabalhemos nessa missão de evangelizar as pessoas,especialmente de modo particular,os jovens para que eles tenham a “Vida e que a tenham em abundância”.(cf.Jo 10,10).A missão profética dos jovens é proporcionar outros jovens também a receber esse convite para trabalhar na missão evangelizadora da Igreja,continuando levar o anúncio da Palavra e o anúncio da Boa-Nova (Mc 16,15).

Amados jovens,vocês precisam intensificar mais no ardor missionário,de serem chamados para caminhar conosco evangelizando sempre as pessoas.”Aqueles que acolhem com sinceridade a Boa Nova,por virtude desse acolhimento e da fé compartilhada,reúnem-se  portanto em nome de Jesus para conjuntamente buscarem o reino,para o edificar e para o viver.Eles constituem uma comunidade também ela evangelizadora.A ordem dada nos doze,”Ide,pregai a Boa Nova”,continua a ser válida, se bem que de maneira diferente, também para todos os cristãos.” (Evangelii Nuntiandi 13).

Portanto amados jovens,sejam fortes na esperança,sejam embaixadores de Cristo,conforme diz São Paulo,(cf.2Cor 5),para que possamos dar um verdadeiro ardor de uma vida constante relacionados no coração de cada jovem,semeando a palavra de Deus,sendo de fato um caminho importante para a missão de todos nós.Que nós possamos continuar esse acolhimento da palavra de Deus e da Boa-Nova,sejamos para a vida eterna,frutos da redenção do amor de Deus para conosco,por isso,sejamos discípulos e seguidores de Jesus a partir desse caminho do Evangelho levar à todos uma missão que deverá continuar sem fim,esse sim,é o caminho para a vida de cada jovem a esse caminho maravilhoso que Deus quer mudar em nossas vidas.”Cada cristão,por seu batismo,é responsável pela construção da Igreja,para que ela seja um espelho do amor de Deus no mundo e no sinal do Reino.”(Estudos da CNBB n.93,69).

Sejamos portanto jovens discípulos missionários trabalhando com eficaz nessa ação evangelizadora da Igreja,prosseguindo o caminho da palavra de Deus. “Desejam essa vida nova em Deus,para a qual o discípulo do Senhor nasce pelo batismo e renasce pelo sacramento da reconciliação.Procuram essa vida que fortalece,quando é confirmada pelo Espírito de Jesus e quando o discípulo renova,em cada celebração eucarística,sua aliança de amos em Cristo,com o Pai e com os irmãos.” (DAp 350).

Encerrando esse artigo de formação,quero desejar a todos vocês queridos jovens,uma boa ação missionária a todos vocês que vocês possamo prosseguir esse caminho do Evangelho de Cristo Jesus.Sigamos em frente todos os dias,meditando a Palavra de Deus e fortalecendo no coração de cada um,todos esses passos para a vida nova,trazendo nova fase para vida de cada um.Deus abençõe a todos e lembrem-se das palavras do Santo Padre o Papa Bento XVI: “Vós,jovens,não sois apenas o futuro da Igreja e da humanidade,como uma espécie de fuga do presente.Pelo contrário: vós sois o presente jovem da Igreja e da humanidade.Sois seu rosto jovem.A Igreja precisa de vós,como jovens,para manifestar ao mundo o rosto de Jesus Cristo,que se desenha na comunidade cristã.”(Discurso do Papa Bento XVI aos jovens,10 de maio de 2007,Estádio do Pacaembu,SP).

Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo! Para sempre seja louvado!

Joseph Charles D´Almada Batista

Com.Fraternidade Pequena Via-Campos dos Goytacazes,RJ

Página de um diário

O tempo corre implacável, oferecendo-nos, em nome de Deus, incontáveis oportunidades. Mas as pessoas andam apressadas e desejam um dia de quarenta e oito horas, para depois pretenderem mais. A velocidade dos meios de comunicação projeta adultos e jovens para metas sempre mais audaciosas. Alguém um dia disse que “o céu é o limite”, expressão que até foi nome de programa de televisão. É natural que, a certo ponto da caminhada, alguém se pergunte a respeito dos rumos e do sentido da própria existência, como também a respeito dos critérios com os quais organiza o uso do precioso tempo. Sabemos que para Deus um dia é como mil anos e mil anos como um dia (Sl 89,4), mas nós estamos no tempo, dependemos de programa, calendários, agenda.Até as crianças das etapas iniciais de vida escolar devem ter suas agendas, nas quais se enviam os recados aos pais ou as próprias crianças enfeitam com seus desenhos, números telefônicos e atividades programadas. Deparei-me com o Evangelho de São Marcos 1, 29-39 e pareceu-me ser possível reconstituir a organização da “agenda” de Jesus, para “aprender Jesus” e ajudar muita gente a se programar com critérios semelhantes. Nós o vemos na Casa de Oração dos Judeus, chamada Sinagoga, depois em visita à Casa de Simão e André. Ao cair da tarde, está cercado das multidões que desejam sua palavra e seus milagres. Na madrugada do dia seguinte, ei-lo em oração, num colóquio de amor com o Pai, recolhido em lugar deserto, antes de partir para novas etapas de missão.

A vida se organiza no confronto com Deus, tempo dedicado à oração cristã, que é a oração de Jesus. Oração pessoal e comunitária. Silêncio para estar com Deus e participação na vida da Igreja, sobretudo na missa dominical. Tomar um tempo a cada dia, bem escolhido, quando e como a pessoa se sentir bem, a Bíblia nas mãos, leitura, meditação, oração, contemplação e propósito de vida nova. Depois, como um bonito ramalhete composto com amor, levar tudo ao altar de Deus na Santa Missa. Nossa vida, no dizer do grande Dom Helder Câmara, fragmentada nos múltiplos afazeres, é posta à disposição de Deus. Dos muitos “caquinhos” ele compõe um magnífico mosaico, uma história de salvação.Jesus vai à Sinagoga, onde todos ficaram admirados com seu ensinamento. Era um ensinamento novo, e com autoridade. E sua fama se espalhou rapidamente por toda a região da Galileia. (cf. Mc 1,21-28).A Sinagoga era lugar privilegiado para a leitura e o aprendizado da lei, da Palavra de Deus. Até hoje e assim será sempre para os cristãos. Para discernir o que fazer, como fazer e como organizar a vida, faz-se necessário perguntar o que Deus pensa. Não é necessário aguardar revelações extraordinárias. “Já firmada a fé em Cristo e promulgada a lei evangélica nesta era de graça, não há mais razão para perguntar a Deus, desejando visões e revelações divinas, nem para que ele responda como antigamente. Ao dar-nos, como efetivamente nos deu, o seu Filho, que é a sua única palavra, e não há outra, disse-nos tudo de uma vez nessa palavra e nada mais tem a dizer” (cf. São João da Cruz, “Subida do Monte Carmelo”, Livro 2, capítulo 22). Na Palavra está a fonte da vida e a iluminação para as decisões.

 Jesus vai à casa de Simão e André. Vêm à tona suas prioridades, que depois se estendem com a atenção aos enfermos e necessitados. Ele está “na casa”, estabelece relações pessoais e afetivas, cuida das pessoas, cultiva-as de tal modo que as contagia. De fato, a sogra de Simão, curada da febre, se põe a servir a todos (cf. Mc 1,31). Ele dedica tempo aos que sofrem mais, doentes, pobres e todos os necessitados. Tal indicação não seja desprezada. Vale a pena perguntar sobre o espaço dedicado em nossas vidas para o serviço gratuito e livre aos mais pobres. E os que sabem ser mais pobres não são dispensados de tal serviço. Antes, devem primar pelo amor uns aos outros, capaz de edificar as outras pessoas.

Muitos de nós já experimentamos ser procurados e visados pelas pessoas, o que aconteceu em primeiro lugar com o Senhor de nossa fé. Observadores mais curiosos do que piedosos notavam o comportamento de Jesus, até vigiando para ver se respeitava o sábado, jejuava ou lavava as mãos antes das refeições ou anotando seu comportamento religioso das prescrições da lei mosaica a serem cumpridas (Cf. Mc 2,16-28; Mc 3, 1-6; Mc 3, 20-21; Mc 7,1-23). É com imensa liberdade e com zelo missionário que Jesus quer pregar a todos e testemunhar o Reino pelo qual é apaixonado. Por isso seu programa contempla ir a outros lugares das redondezas, pois para isso ele veio, age com simplicidade, sem formalismo, com a imensa confiança no amor do Pai, com a qual quer contagiar a todos. Os que nele crêem se sabem sempre entregues às mãos da Providência santíssima, sem traumas ou receios que lhes tirem a liberdade. E assim convivem respeitosamente com todos, inclusive com os que têm convicções diferentes. A nós cristãos chegue o apelo a olhar para a Cruz de Cristo, ponto mais alto e sinal de seu amor eterno. Nela ele se entregou “como remédio contra todos os males que nos sobrevêm por causa dos pecados, mas não é menor a utilidade quanto ao exemplo. Na verdade, a paixão de Cristo é suficiente para orientar nossa vida inteira. Quem quiser viver na perfeição, nada mais tem a fazer do que desprezar aquilo que Cristo desprezou na Cruz e desejar o que ele desejou. Na cruz, não falta nenhum exemplo de virtude” (Santo Tomás de Aquino, Colatio 6 super Credo in Deum). Assim, nossa vida será “organizada” e nossa agenda perfeita!

Que o Pai do Céu conceda a todos os homens e mulheres de fé o dom de priorizar em suas vidas o que efetivamente tem valor. Por isso a Igreja pede em sua oração que ele vele sobre a sua família com incansável amor, pois confiados apenas em sua graça, esperamos ser guardados sob a sua proteção.

Dom Alberto Taveira Corrêa

Arcebispo Metropolitano de Belém do Pará